#07 – A Regeneração

Regeneração é a mudança de natureza que acompanha a justificação do homem e da mulher recém convertidos. É o novo nascimento da água e do Espírito (Jo. 3.1-21), que os torna nova criatura (2 Co. 5:17).

7.1. O que é a regeneração?

Diretamente, regenerar é reconstituir algo que foi quebrado, deteriorado, machucado, gerando de novo, ou seja, retornando ao estado natural antes de ter sido corrompido. É o que Deus faz na vida da pessoa que recebe o Senhor Jesus como Senhor e Salvador, restaurando a natureza outrora perdida no pecado.

A regeneração é uma ação exclusivamente divina, na qual o homem e a mulher justificados são vestidos de uma nova natureza. A regeneração é o passo que na visão humana sucede a justificação, visto que os homens são seres visuais e a nova natureza é observada por meio dos frutos da justiça (Ef. 2.10). Todavia, devemos lembrar que Deus olha para o coração (1 Sm 16.7).

Entretanto, no plano espiritual é necessário observarmos que a justificação e a regeneração ocorrem simultaneamente, pois alguém que é selado pela salvação recebe o novo nascimento na água e no Espírito. A regeneração acompanha a conversão genuína como uma relação de causa e efeito.

Necessário relembrarmos que a salvação é um processo que se inicia com a pregação da palavra de Deus, resultando na fé, assim que a palavra é ouvida, e, como resultado da fé, o indivíduo reconhece seu pecado – pelo arrependimento – e se converte. Na conversão, está a salvação, a qual traz consigo a justificação, a regeneração e a santificação.

Para entrar no Reino de Deus é necessário ter esta nova natureza, que exige a morte do velho homem e o nascimento do novo (Jo 3.3,5; Ef. 4.22-24; Rm. 8.10).

A regeneração também é chamada de: vivificação (Ef. 2.5,6); nova natureza (Mt 12.33; Ef. 4.24); nova criatura (2 Co 5.17); recriado (Ef. 2.10); família de Deus (Ef. 3.14,15), iluminação (1 Co 2.11-15; Ef. 1.16,17).

7.2. O que a regeneração não é

(a) Não é batismo: “nascer da água” não é o mesmo que batismo nas águas. O ladrão da cruz não foi batizado em águas, (Lc 23:23); Paulo só batizou Crispo e Gaio nas águas em Corinto (1 Co 1.14). No evangelho de João a água que Jesus afirma para Nicodemos é a mesma água que Jesus anuncia à mulher samaritana logo no capítulo imediato (João 4), é um nascimento da água viva, também observada em Tito 3.5. (Ef. 5.26; Jo 15.3; 1 Pe 1.23)

(b) Não é reforma: Não é um processo de reeducação, de etiqueta, não é algo externo, mas interno, pela operação do Pai do Filho e do Espírito Santo, que torna a pessoa participante da natureza divina (2 Pe 1.3,4).

7.3. O que a regeneração produz:

O Espírito Santo produz a regeneração no espírito humano, que está latente, visto que a alma está contaminada no poder do pecado.

7.3.1. Estabelece a distinção da natureza humana e da divina

Há o homem natural, carnal e o espiritual, segundo 1 Coríntios 3.1.

Regenerado é o homem natural que ganhou natureza espiritual (1 Co 2:14,15).

7.3.2. Garante domínio sobre a carne

O crente regenerado adquire a consciência de que deve andar em Espírito (Gl 5.16; Rm 8:2,5; 1 Jo. 3.9).

7.3.3. Capacita o crente a vencer o mundo

Aqui o mundo é observado como um sistema pecaminoso, o qual o apóstolo João adverte a que não amemos (1 Jo 2.15-17). O mundo pode distanciar a pessoa de Deus, vencer o mundo é ter noção de que vivemos em constante guerra contra o sistema pecaminoso.

Nesse sentido, Deus nos propiciou a nova natureza que nos capacita a resistir e vencer o mundo (1 Jo 5.4).

7.3.4. Afasta do pecado

Quem é nascido de Deus não vive na prática do pecado (1 Jo 3.9; 1 Jo 5.4).

7.3.5. Produz amor e conhecimento de Deus

A regeneração induz à prática do amor como elemento central da vida do Cristão, não por obrigação, mas voluntariamente (1 Jo 4.7).

7.3.6. Capacita o crente à prática da justiça

A nova natureza em Deus nos torna capaz de praticar a Justiça, que foi preparada pelo Senhor Jesus para que andássemos nela (Ef. 2.10), algo que somente é possível aos regenerados (Jo 2.29).

7.4. O caráter da regeneração

Conforme ensina o Pr. Walter Brunelli (2015, p. 359): “Não existe meio nascimento: ou a pessoa é nascida ou não é. Uma vez que nasceu de novo, espera-se que cresça; caso contrário, será como os crentes de Corinto, que eram chamados de “meninos” e também de “carnais” (1 Co 3.1), embora houvessem passado pela regeneração (1 Co 6.11)”.

7.5. Resultados da regeneração

O crente regenerado:

  • Não vive pecando (1 Jo 3.9)
  • Pratica a justiça (1 Jo 2.29)
  • Vence o mundo (1 Jo 5.4)
  • Satanás não pode tocá-lo (1 Jo 5.18)
  • Manifesta o fruto do Espírito (Gl 5.22)

Não nos cabe julgar, nem mesmo a nós mesmos (1 Co 11:31), por isso devemos orar por nós e pelos demais irmãos para nos aproximarmos a cada dia mais de Deus, aperfeiçoando a nova natureza que nos foi dada (Filipenses 1.6).

Próxima aula: 08 – Santificação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s