O Significado da Morte – por Gil Monteiro Silva

Esta obra resolve confusões e dúvidas comuns acerca da morte, produzindo no leitor uma esperança viva e reconfortante

A obra é dividida em três partes, de fácil leitura e de impressionante biblicidade.

Não poderia ser diferente, visto que o autor é filho de um dos maiores teólogos brasileiros que já tivemos o privilégio de desfrutar de seus livros e estudos: o saudoso Pr. Antônio Gilberto.

Uma das questões mais impressionantes é a maestria do Pr Gil ao abordar a eternidade do espírito, seja do justo ou do ímpio. Algo que nós, como leitores muitas das vezes despercebidos, nunca antes tínhamos imaginado: “Deus não pode aniquilar sua própria imagem”, há um destino eterno para os justos e injustos que se inicia após a morte – isso me impactou profundamente.


versão digital

O estado intermediário dos mortos

Iniciar o texto abordando o estado intermediário dos mortos foi de um nível de maturidade didática impressionante, demonstrando que o autor não possui o objetivo de perder o tempo do leitor para vender mais páginas de seu livro, muito pelo contrário, o objetivo é fazer o leitor entender desde o início que não existe estado de inconsciência e logo após a morte teremos o nosso destino espiritual, como justos ou como ímpios, conforme informa a palavra: descanso ou tormento.

A lição principal trazida acerca do desiderato do estado intermediário são “as ressurreições”. Sim! O autor resolve o estado intermediário ensinando as duas ressurreições dos justos e dos injustos, explicando com muita assertividade que a morte física é apenas o início de uma grande benção aos justos e do julgamento eterno dos ímpios. Vale muito a pena conferir!

O autor faz isso de maneira dinâmica, prendendo a atenção de forma clara e objetiva, de modo que é possível chegar ao final da primeira parte do livro com a totalidade de apreensão do propósito do autor em uma assentada.

O entendimento de Israel acerca dos mortos

Na segunda parte há uma abordagem, também muito didática e importante, do que o povo de Israel no antigo testamento entendia sobre a morte, muitas vezes contaminado pelos ensinos dos povos pagãos da antiguidade.

Após o sacrifício perfeito de Cristo na Cruz do calvário, a verdade surgiu perante todos, de modo que a ressurreição de Cristo tornou a revelação de Deus real e fiel para todos aqueles que foram firmes na fé desde o princípio, demonstrando a paciência de Deus com Israel e não uma “negligência” a favor dos erros teológicos acerca da morte, que eles, habitualmente cometiam (a exemplo de Jo 11.21-26)

A morte e os demais povos e culturas

Já na última parte, o autor nos ensina, rapidamente, os erros acerca da morte na filosofia e outras religiões e povos antigos, que, ainda hoje, possuem um enorme espaço na cultura popular, fazendo muitos se confundirem acerca do destino dos mortos.

Pelas Escrituras Sagradas, o autor deixa bem claro, para todos nós, que a única esperança que temos é nas promessas de Deus. Assim, se estivermos firmados no que a Escritura nos ensina acerca da morte, sabemos que ela é uma breve passagem para o que realmente importa: nosso destino eterno.

Conclusão

Versão livro físico: cpad.com.br
(clique na imagem)

Recomendado para todo aquele que, como eu, possuía ainda dúvidas acerca do estado intermediário dos mortos, – o que acontece logo depois que uma pessoa passa desta vida material para o estado eterno e espiritual, – ainda mais no período de pandemia em que vivemos, esta obra não poderia ter sido lançada em um momento melhor para sanar nossas dúvidas e confusões acerca de um assunto tão importante.

Muitos estão sofrendo pelos seus entes queridos, atormentados com medo do porvir, pois não entendem o real significado da morte. Para aquele que está firme em Jesus, não há morte, nunca haverá morte, apenas a vida eterna perante o Senhor da glória.

Minha nota é máxima, super recomendo a leitura.

Você precisa ter este livro em casa e dar de presente para quem estiver sofrendo.

Autor: Rafael J. Dias

Pastor na Assembleia de Deus Ministério de Santos, advogado, escritor e ativista pelos direitos sociais. Formado em Direito pela Universidade Católica de Santos e em Teologia pelo IBAD. Especialista em Direito da Administração Pública pela Estácio. Pós-graduando em Liderança Pastoral pela FABAD.

Deixe uma resposta