A dispensação da consciência (do entendimento do bem e do mal)

O conhecimento do bem e do mal tornou o homem capaz de praticar atos tão maus que feriram o coração de Deus, tendo como resultado o juízo da destruição da grande parte da criação. Leia também: Dispensacionalismo - as sete dispensações https://open.spotify.com/episode/5AcZvGfOwcP3ur4XdjFa5p Ouça esta aula completa no Spotify (clique para abrir o app) Início, duração … Continue lendo A dispensação da consciência (do entendimento do bem e do mal)

A dispensação da inocência

Lugar de onde Deus nunca quis que o homem tivesse saído Estamos aprendendo o dispensacionalismo (leia aqui a primeira lição), que, como aprendemos, são os tempos em que Deus provou o homem, dando-lhe a oportunidade de obedecê-lo e andar em seus caminhos. A primeira das sete dispensações é a dispensação da inocência. No princípio Deus … Continue lendo A dispensação da inocência

Dispensacionalismo – as sete dispensações

Deus está no controle de todos os acontecimentos da humanidade, tanto por meio da vontade permissiva, como diretiva. Para entendermos as revelações para a dispensação da graça é necessário aprendermos as dispensações. Esta aula é uma aula introdutória acerca do dispensacionalismo, para entrarmos no estudo da doutrina das últimas coisas – Escatologia, é necessário entendermos … Continue lendo Dispensacionalismo – as sete dispensações

#08 – A Santificação

A Santificação inicia-se juntamente com a justificação e a regeneração e encerra o processo da salvação na vida do crente, diferenciando-se da regeneração por seu aspecto de  continuidade (progressividade) na vida do crente. A santificação é aliada a um dos atributos comunicáveis de Deus, a saber: A Santidade. Por isso, a santificação tanto depende do … Continue lendo #08 – A Santificação

Ser conservador é ser de direita?

Ser conservador nos costumes não implica em estar no espectro político à direita ou à esquerda, visto que tais posicionamentos estão mais ligados a aspectos políticos e econômicos do que a costumes individuais e coletivos sociais, culturais e religiosos. Isso quer dizer que, independente da própria cultura, religião e construção social, temos razões políticas e econômicas que não se referem a costumes, que podem nos colocar tanto à direita como à esquerda.